Quora: Uma rede social de conhecimento

Recentemente fui convidado a inscrever-me no serviço web Quora, uma rede social de conhecimento. Na suas próprias palavras os fundadores do Quora descrevem o serviço como “uma colecção de perguntas e respostas criadas, editadas e organizadas por todos os que usam o serviço. O mais importante é que cada página com uma pergunta se torne a melhor ferramenta para obter informação sobre um determinado tema.”

Por outras palavras, o Quora é uma base de dados de conhecimento criada pela sua comunidade e para a comunidade, sobre qualquer assunto. Ao contrário da Wikipedia, que tem por modelo uma enciclopédia tradicional, os utlizadores do Quora podem colocar qualquer questão e obter a resposta por pessoas que também estão interessadas num determinado tema: desde estratégias de negócio a pergunta sobre aliens ou telepatia, todas as questões são aceites e existem sempre pessoas que partilham a sua experiência.

E é na partilha de experiência que o Quora realmente se destaca: Ao se colocar uma questão sobre a empresa “y combinator” provavelmente quem irá responder é um dos Senior Partners da empresa em questão; uma questão sobre o sistema Android obterá respostas de pessoas que trabaham ou que trabalharam no sistema operativo da Google, enquanto empregados da Google. Mas os assuntos abordados não se restringem a Silicon Valley, tecnologia ou social media: viagens, cozinha, melhores sugestões para passar um dia de férias num determinado local, sociologia, psicologia, arte são apenas uma ínfima parte dos temas discutidos, todos os dias no Quora.

Como funciona?

Os princípios básicos Tópicos Quando se abre uma nova conta no Quora podem-se escolher uma série de tópicos em que estamos interessados. Também se pode colocar hipótese de alguém ter enviado um convite e nesse caso a pessoa que vos convidou teve a hipótese de sugerir tópicos que acharam que poderiam ter interesse. Assim que se escolhem estes tópicos começamos de imediato a seguir os mesmos e todas as perguntas que neles constam.

Rede Social

O Quora usa o “Facebook Connect” e o Twitter para encontrarmos, de uma maneira simples, pessoas com as quais já temos contacto nessas redes e permite-nos seguir essas pessoas dentro do Quora se elas já estiverem lá, e se assim o desejarmos pois fazer este passo é facultativo. À medida que se começam a seguir tópicos vão surgindo pessoas que queremos seguir devido às opiniões que expressam permitindo assim que a nossa rede cresça.

Perguntar, Responder, Comentar, Agradecer, Votar

Para fazer uma pergunta tudo o que se tem que fazer é escrevê-la. Depois disso é necessário contextualizar essa pergunta em um ou vários tópicos para que a mesma seja vista por pessoas interessadas no mesmo. Qualquer utilizador pode responder a qualquer pergunta mesmo que não esteja a seguir esse tópico. No entanto o Quora apenas permite uma resposta de cada utilizador por pergunta. Essa resposta pode ser editada sendo possível também deixar um número ilimitado de comentários.

Uma parte importante de todo o sistema é, na minha opinião, a possibilidade de agradecer e votar uma determinada resposta. Por outro lado uma resposta também pode ser classificada como não sendo útil, ou fazer mais sentido como um comentário à pergunta ou a uma resposta. Este sistema ajuda a ter de imediato uma ideia qual foi a resposta que a comunidade achou ser mais interessante.

Prós e Contras: Um resumo

Prós

1. Facilidade de utilização: O interface é limpo e intuitivo e permite uma navegação fácil. A timeline mostra as novas questões que vão sendo feitas nos tópicos que estamos a seguir e a actividade daqueles que seguimos. Sempre que existe qualquer actividade em que estejamos directamente envolvidos (uma resposta, um comentário ou um voto a uma pergunta que estejamos a seguir) o sistema mostra uma notificação (que podemos também receber por mail)

2. Uma comunidade interessante e que gera valor: É muito melhor como cozinhar um “Pato à Pequim” pela mão de alguém que cozinha e vive em Pequim do que através de um livro de receitas escrito por um Francês (nada contra os Franceses). Os responsáveis pelo Quora (alguns vindos do Facebook) conseguiram juntar uma comunidade com uma série de pesos pesados das diversas indústrias que estão activos dentro do Quora (o caso de Johnathan Abrams – o ex-CEO do rede social Friendster é um exemplo entre muitos)

3. Uma rede de conhecimento e aconselhamento: Ao contrário do que acontece no Twitter, o rácio de ruído no Quora é muito pequeno. O facto de, se assim o quisermos, podermos apenas seguir um ou dois tópicos sem sequer seguir ninguém ajudar a manter esse mesmo rátio em valores extremamente aceitáveis. Isto significa que quando se coloca uma pergunta sobre Karaoke, por exemplo, apenas pessoas interessadas no tema irão responder.

Contras

1. O universo de utilizadores do Quora: Neste momento este universo é pequeno mas, e há medida que a popularidade do serviço crescer, o já mencionado ratio de ruído vai crescer. Pessoalmente já presenciei algumas questões serem feitas e que uma mera pesquisa no google providenciaria a resposta bem como algumas questões que são colocadas por pessoas que querem ter razão mesmo que desconheçam os temas.

2. Spam: À medida que o universo de utilizadores do Quora crescer será de esperar mais spam. Neste momento tópicos mais populares já contam com algumas respostas que nada mais são do que publicidade a um determinado produto.

3. Viciante: Este “contra” deveria ser também um “Pró” mas o que é certo é que o  Quora deveria vir com um aviso de “Consumir com moderação”. O Quora é viciante porque, se forem como eu, todas as questões serão de interesse e vão querer seguir mais este e aquele tópico, e editar mais umas perguntas, ajudar na categorização, comentar uma resposta, e, e, e… Claro que podem considerar, como eu o faço, algum do tempo passado no Quora como trabalho porque o é, mas aconselho desde já a ter em conta este factor.

4. Utilizadores anónimos: Mesmo que todos os utlizadores estejam registados é possível responder ou fazer questões de modo anónimo. O uso do anonimato, hoje em dia, é usado por pessoas que querem dizer ou perguntar algo mas não têm a coragem para o fazer usando a sua identidade real. Na minha opinião, ao permitir este tipo de comportamento, os responsáveis do Quora estão a dar o sinal errado. Muito mais porque na sua página “About” dizem claramente: “Tudo no Quora está ligado a uma pessoa real. Cada pergunta, cada resposta, tem uma história de revisões associada, e cada mudança no relatório está associado à pessoa que a fez. Os utilizadores usam os seus nomes reais e fotos, com uma pequena biografia que descreve quem eles são; isto ajuda a que qualquer pessoa, que esteja a ler uma resposta dada por um determinado utilizador, acredite no que está escrito e possam ter em conta a perspectiva da pessoa que escreveu”.

Tags: ,

Artigos relacionados


Partilha

Data
14 Setembro 10 09:59

Autor
Fernando Fonseca
avatar
Estratega, sound designer e produtor de música electrónica, Fernando Fonseca anda na web desde que a web apareceu e mantem o blog The Home of Zargon e recentemente lançou o blog SoMeOps dedicado às redes sociais em Português. É também um dos responsáveis da netlabel PublicSpaces Lab


0 últimas reacções a este artigo


Comentários